images (1)

Por volta dos 50 anos, é comum perder volume nas maçãs do rosto, testa e lábios. Também o nariz e o queixo sofrem uma modificação bastante visível com o passar do tempo. O formato do rosto, que na juventude é triangular, acaba ficando quadrado por conta das perdas de volume – evidenciando rugas e sulcos. A cirurgia plástica socorre esses problemas com intervenções cada vez mais seguras e rápidas, como a técnica de reposição do volume facial. Combinada com o facelift, costuma diminuir a idade aparente em alguns bons anos. Mas, não adianta só recorrer a intervenções sem aprender a cuidar da pele como se deve.

Na opinião do cirurgião plástico Vitorio Maddarena Junior, diretor da Clínica Maddarena, em São Paulo, desde muito cedo as pessoas deveriam adotar cuidados básicos com a pele, como lavar o rosto sempre antes de dormir, usar protetor solar até mesmo durante o inverno e tomar bastante água ao longo do dia. Mas, para quem passou dos 50 anos, as dicas incluem cremes e substâncias específicas para retardar o processo de envelhecimento.

“Os produtos que têm apresentado resultados mais satisfatórios para manter a textura e a firmeza da pele são a tretinoína, alguns antioxidantes concentrados de vitamina C, os hidroxiácidos, e os cremes à base de fatores de crescimento celular. Independentemente dos bons resultados apresentados, só devem ser utilizados quando bem indicados”, diz Maddarena.

De acordo com o médico, a tretinoína (ácido retinoico) é a vitamina A ácida. Em cremes, é eficiente na recuperação da pele danificada pelo sol, também atenuando rugas finas e melhorando a qualidade do colágeno. “A tretinoína também é empregada em peelings a laser, tendo seu efeito potencializado. Porém, não é indicada para todos, já que algumas pessoas podem manifestar algum grau de irritação. O ideal, ao utilizar um creme à base de ácido retinoico pela primeira vez, é colocar uma quantidade mínima na ponta do dedo e espalhar suavemente no rosto. Em caso de irritação ou ardência, é importante retirar o produto com bastante água e reportar o ocorrido a seu médico”.

Os antioxidantes à base de vitamina C e E estão presentes em muitas fórmulas de beleza, protegendo a pele dos efeitos nocivos do sol. Embora sejam considerados valentes na luta contra os radicais livres que aceleram o processo de envelhecimento, o cirurgião plástico diz que, isolados, não fazem milagres, haja vista não penetrarem as camadas mais profundas da pele. “A exposição ao sol e à poluição certamente diminui a efetividade desses cremes aplicados sobre a superfície da pele. Sendo assim, embora sejam importantes substâncias e devam constar das mais consagradas fórmulas, não se pode esperar mais do que eles podem render”.

Já o uso dos hidroxiácidos vem sendo elogiado por estimular a produção de colágeno, aumentar a firmeza da pele, e potencializar os resultados de procedimentos estéticos com laser. Normalmente, nesses casos, também são associados ao ácido retinoico. Por fim, os ainda pouco conhecidos efeitos dos fatores de crescimento celular. “A origem desses fatores de crescimento são os fibroblastos de pele jovem cultivados em laboratório. São células que produzem colágeno, estimulam a elasticidade da pele, e normalizam a atividade celular. Como resultado, uma pele firme, mais resistente à ação do tempo, e mais preparada para responder bem inclusive aos tratamentos estéticos e cirúrgicos”, diz Vitorio Maddarena Junior.

Comentários

About author View all posts Author website

Amélia já Era